11 fevereiro 2011

Arqueologia & Daniel

Ontem @DrRodrigoSilva1, doutor em Teologia, e doutorando em arqueologia clássica esteve na igreja do Marco I em Belém apresentando  palestra sobre arqueologia e o livro bíblico de Daniel, muitos de nós fomos e levamos alguns amigos visitantes, como a Mayara, o Pedro e @SamComatose.
Lá pudemos aprender um pouco mais de história e reavivar nossa fé, vendo como cada detalhe da Bíblia é infalível, mas temos que crer, tendo-se provas arqueológicas ou não, afinal, "cerca de 80% da Bíblia não tem comprovação arqueológica", todavia "a ausência da evidência não é a evidência da ausência" como disse o dr. Rodrigo. acima: imagem 1
Nós como jovens estudantes cristãos devemos manter a calma dentro da sala de aula quando o assunto for contra nossa fé. Devemos testemunhar, mas o momento certo vai vir!                         ao lado: imagem 2
Não vai adiantar nada interromper o professor no meio da sua explicação e dar uma aula de Bíblia ali na hora. "No momento certo você é respeitado, no momento errado você é ousado". Você sendo um bom estudante, dando sempre o melhor de si, um dia irão questionar porque você, tão inteligente, não acredita na evolução, por exemplo, e você terá o momento para brilhar por Jesus, com atenção e respeito!             abaixo: imagem 3
Dentro de uma escola ou universidade podemos -e devemos, pq não?- manter-nos fiéis e puros, assim se comportou Daniel ao receber a educação babilônica [como diria o pr. Ezinaldo, Daniel na UniBabi- Universidade da Babilônia, rsrs], ele estudou magia, astrologia entre tantas outras ciências que iam contra sua fé...      abaixo, no telão: imagem 4
Daniel era um "cara gente boa", era legal com o cozinheiro, com os guardas, um rapaz fiel ao seu Deus e seus princípios, mas foi levado ao cativeiro por causa dos pecados dos ímpios de Israel. "Estaria você disposto a sofrer com o povo de Deus os castigos por uma apostasia da qual você não faz parte?"
Um fato abordado pelo dr. Rodrigo é a descrença acerca da Palavra de Deus, "alguém duvida da existência de Alexandre o Grande?" Os únicos escritos sobre ele são alguns de Plutarco, no entanto ninguém diz que ele não existiu, porque tal desconfiança na Bíblia? Ele explicou também sobre fideísmo e fé [aquele assunto que causou certo alvoroço no programa do Jô], contando uma metáfora muito legal; se você estivesse em um prédio em chamas e um bombeiro aparecesse e lhe falasse para segui-lo por um caminho aparentemente ardendo em chamas, você o seguiria? Provavelmente sim, não iria parar pra discutir com ele, 'ei, venha cá, vamos pensar qual a probabilidade matemática de irmos por aí e não nos queimar-mos? Eu sou um estudioso muito inteligente,
antes de eu ir com você me prove que sua teoria está correta!', você não iria fazer isso... E mais tarde ele lhe mandasse pular por uma janela? Se você fosse inteligente você pularia e veria que lá estava um colchão para lhe                       acima: imagem 5                amparar. Mas e se viesse um garoto de 10 anos falando pra você seguir ele? Só num desespero -pouco provavelmente- você iria... É que a gente sabe que um bombeiro foi treinado para situações de risco em incêndios, mas não um garotinho... "Sou inteligente o bastante para não discutir com especialista".     abaixo: imagem 6
Entre muitas coisas que dr. Rodrigo disse, ele explanou que a palavra esperança pode vir de dois verbos, esperar e esperançar. Esperar é você simplesmente esperar por algo ou alguém, mas esperançar é você levar a outros esperarem juntos com você!
Que possamos, como jovens que amam a Cristo, levar esta esperança a todos ao nosso redor, ajudando as pessoas a adorarem a Deus em espírito e em verdade enquanto esperançamos todos juntos a volta do nosso amado Jesus!

Você pode ver outra imagens de Babilônia no flickr ou num outro blog. As frases entre aspas são literalmente as faladas pelo dr. Rodrigo Silva que foram anotadas, não se apresentam na ordem que foram ditas.

*Curiosidades*

* Daniel provavelmente era um eunuco, os assírios tinham o costume de castrar os homens dos povos dominados, pra que eles não tivessem filhos que provavelmente poderia vir a fazer uma rebelião, e os babilônicos copiavam esses padrões assírios, os escravos não poderiam pensar em nada, nem em relações sexuais, somente em servir ao rei. Uma constatação disso é que Daniel foi jogado sozinho na cova dos leões, sendo que o costume era jogar a família inteira para que não houvesse intenção de vingança por familiares, e os acusadores de Daniel foram jogados com suas famílias. [Dn. 6]. Além de que alguns achados arquológicos demonstram os escravos do rei em forma mais feminina.
* Bem provavel que não tivesse sido uma estátua de ouro que Nabucodonosor ergueu, embora seja assim que algumas traduções dizem [com oa NVI], porque na verdade é a tradução de 'imagem' e imagem pode ser até uma pintura, por exemplo. Estruturalmente falando, a 'estátua' não suportaria ficar em pé, pois tinha cerca de 30 metros de altura por apenas quase 3 de largura [60 côvados por 6], pode ter sido até mesmo um obelisco ou algo parecido.
* A Bíblia fala que osamigos de Beltesazar (Daniel) "cairam" dentro da fornalha ardente, mas mesmo assim Nabucodonosor conseguia vê-los, mas sem chegar perto, pois os que chegavam perto demais morriam pelas intensas chamas, como poderia ter acontecido isso? A fornalha eram fornos onde se assavam os tijolos, era um grande galpão onde se tinha a parte do forno, mais embaixo e onde se colocavam os tijolos, por onde se tinham acesso via uma escada na lateral, por uma abertura/respiradouro numa parte superior, por isso eles foram jogados de cima para baixo, mas podia-se vê-los ainda, retirando a ideia de que fosse um buraco.
* Num portal Babilônico [o azul, da imagem 3] possui um azul que somente computadores conseguem criar, a mistura de tintas não alcança um azul tão esplendoroso... Havia um relevo em forma de leão com asas, simbolizando -eles mesmos- a Babilônia.

legenda das imagens:
imagem 1: Babilônia numa reconstrução de Bin Laden, que utilizou tijolos novos em cima dos antigos achados por arqueólogos
imagem 2: esvacações na Mesopotâmia
imagem 3: Portal achado em Babilônia, hoje num museus na Alemanha, reconstituição em menores proporções
imagem 4: Ur dos Caldeus
imagem 5: Cilindro de Nabonido. Historicamente Nabonido foi o último rei da Babilônia, mas a Bíblia fala que foi Belsazar [Dn. 5:30 e 31], a verdade é que o rei Nabonido era pai de Belsazar e enquanto ele viajava, seu filho tomava conta de Babilônia. Quando ele foi morto os medo-persas que invadiram a cidade e o mataram, Nabonido estava numa dessas viagens.

Nenhum comentário:

Postar um comentário